quinta-feira, 20 de julho de 2017

Dias porreiros

Ola pessoal.

Uma das razões que me fez continuar a postar aqui no blog, foram as amizades que fiz ao longo destes 5 anos, foram poucas mas boas até a data, uma delas foi com o velho Lobo do Mar, bem conhecido aqui no mundo da pesca...

Uma ida ao sul e reuni as condições para ir ao covil do Lobo, levei uma saladinha de polvo alentejana, com uma salada de verão à Lobo e uma geleira rechiada de loiras, e ali tivemos a contar histórias de pesca por uma boas horas.


Este ano o amigo Pedro como não gosta do verão, arranjou um spot novo bem refundido, para fugir aos ETs, só é pena uma coisa, não dá para pescar às safatas de verão... ele não brinca na preparação do material, geladinhas, geladinhas....

 

Depois de muitos anos a receber comentários sempre positivos e animadores, finalmente conheci o Francisco Belo, que se juntou ao Muralhas para fazer uma sargalhada em Sines, mas como isto não é como nós queremos em vez de sargos levaram uma carga de porcos, que safaram a ilhada da chibatada... depois disso fomos ao petisco, com uma entrada de percebes de Sines e um choco frito acompanhado de umas canecas a maneira, um dia bem passado mesmo sem sargos, malta fixe, onda porreira é o que se quer, a pesca não é só carregar... como muitos pensam...

Ainda tiveram o privilégio de conhecer o Sócrates e o Gordinho, e ver o porquê do ultimo post, mesmo sem os listados gostei muito deste dia, a jantarada foi marcada pelas histórias de pesca do Muralhas... ;)


Um dia deste dei com minha segunda dourada do ano e um belo matateu, a salvar um dia de pesca fraquinho de sargaria, foi mesmo para dizer que nos últimos cartuchos que salvei a pesca já sem grandes esperanças...


Boas fainas
 

domingo, 9 de julho de 2017

A perseguição


Boas amigos
Os nomes utilizados neste post, são feiticios, mas encaixados na parecença física e comportamental dos indivíduos.

Dia de bola, maré curta, mar manso, acordo cedo e vou apanhar uns percebes, depois de 1 hora unha a unha, a pouca escolha dos mesmos, aproveitada para uma futura pescaria, no meio de um dedo de conversa com um mariscador profissional, onde faz conversa de meninos para mim e pensa que sou tonto, há mais marés que marinheiros Mário Soares… a vida da muita volta.
Alerta-me que eles andam ai (Guarda Fiscal), que novidade para mim, em 10 pescas fui esperado meia dúzias de vezes por eles.

Podem- me esperar todos os dias, mas nós andamos a descontar para estes guardas receberem ordenados e eles andarem atrás de nós como criminosos, ridículo, qualquer dia colo a licença na testa sempre que for a pesca.
Ok, é o trabalho deles, será? Se fiscalizassem dentro da própria guarda, iam metade presos, mas é mais fácil tentar apanhar um pescador…
 Ligo o carro, musica no rádio, braço de fora do vidro, faço a avenida da praia a gozar a satisfação que trazia de estar em contacto com o mar e fazer aquilo que tanto gosto, começo a subir para a vila, a curtir a musica nas calmas e quando estou a entrar numa zona mais estreita da estrada, mesmo a umas centenas de metro da minha casa, aparece-me uma pick-up toda preta com uma condução perigosa a tentar passar-me, pensei para mim, este está bêbado com certeza, faço pisca e encosto, para o maluco passar, bem apanho um susto, o sacana quase que me arranca o braço, não me raspou o carro por um cabelo.

 Parecia um filme de acção, onde os bandidos são passados pela polícia e estes põem o caro a frente para os encurralar, a minha reação foi imediata, “és maluco caralh#&%&%, fdsssssssss”.

Sai-me da pick-up o Sócrates e o Gordinho, “ fdssss outra vez vocês, agora já mete perseguição, vocês são ridículos caralh#%&%# “o Gordinho dizia” és maluco ias batendo no rapaz, és maluco”.


     Socratres, “Recebi uma denúncia, abra já a bagageira imediatamente” abro a bagageira a resmungar, ridículo, fdssss “só apanhou isto?” ganda lata carlh#$%$#, era para apanhar mais para me lixar????? “mochila, mochila, abra a mochila” sim tenho aqui mais percebes da escolha, que aproveito para pescar, em vez de os deixar nas pedras a cheirar mal, “desculpe lá, foi uma denuncia”, fdssss ganda lata, desculpe lá… a próxima faço queixa de vocês, perseguição já é demais.
Sócrates, "agradeça aos seus amigos foram eles que o denunciaram!"
 Isto até me tira vontade de ir mariscar ou pescar, mas será que tenho cara de criminoso, pessoal que me conhece e faz denuncias, palhaços, há mais mares que marinheiros felizmente, também não há mais trabalho para estes gajos, sem ser abordar pescadores… ridículo é a única palavra para isto.

Eu apanho percebes não raspo as pedras, como o pessoal que tem a carta de mariscador, que para fazer a maré e apanhar os supostos 15 kg, raspam tudo, depois aproveitam metade dos 15kg, e estão preocupados que um gajo apanhe meia dúzia de percebes, vão se fod###%&&
Desculpem o palavreado, mas esta história tinha que a contar, também é uma maneira de eu desabafar e continuar a ter vontade de vir aqui mostrar uns peixes, e se o faço é pelas amizades que criei com muito pessoal que comenta e sei que gostam de ver o que eu apanho e principalmente não lhes faz comichão os peixes que veem por aqui.
Bem vou deixar aqui umas fotos de uns sarguetos para fritar, para brindar os verdadeiros amigos.

Boas fainas




domingo, 25 de junho de 2017

Agueiros

Boas amigos.
Começou o verão, mas antes e depois, há dias bem melhores de praia do que no próprio verão, como acontece todos os anos, então antes, qualquer calorzinho a malta vai logo a correr para a praia.
Sem informação e nem vigia, um dia destes pode ser fatal para qualquer um, que não tenha o mínimo de noção dos perigos do mar.
 
Como surfista a mais de 20 anos, dei aulas de surf durante 10 anos quase diariamente, vi muita asneira, e tenho mil histórias para contar, perdi a conta das pessoas que salvei e muitas vezes sem um obrigado...
Lembro-me de um dia salvar 3 miúdos e vir a Policia Marítima, acabar coma minha aula de surf e fazer-me sair da água porque recebeu um telefonema de anormal a dizer que eu não deixava as pessoas entrar na água.
Onde há agueiros, há ondas porreiras, muitas aulas eu habitava os agueiros para ver os meus alunos mais avançados, não me sinto um herói nem pouco mais ou menos, qualquer surfista experiente já salvou pessoas da morte, faz parte de um surfista, acaba por ser uma coisa banal.
Eu e muitos outros surfistas, nunca recebemos medalhas, como se vê por vezes na televisão, devia de haver, era um trabalho do governo para instruir muitas das nossas "policias costeiras" para servir a sociedade em vez de a perseguir na caça a multa.
 
1- Nunca nadar contra o agueiro.
 
 
 
2 - escolher um lado para sair do mesmo, sempre por onde tem mais ondas.
 
 
3 - Nadar para esse lado e automaticamente fica-se com pé.
 
 
 
4 - Com a ajuda das ondas sair do mar.
 
 
 
Tentar manter a calma e se não tiver força, acenar com os dois braços para pedir ajuda, basta saber boiar, (que por vezes) o próprio agueiro encaminha para uma zona de pé.
 
 
 
Se não souber nadar, nunca entrar em praias como as das fotos, sem ser mesmo a frente da espuma das ondas, com água pela cintura no máximo.
 
Uma boa foto para identificar um agueiro.
 
Muitas pessoas iriam tomar banho onde não há ondas, ai está a armadilha.
Antes do verão morreram 2 pessoas na minha praia numa semana, um dia antes numa caminhada matinal com a minha mulher, passei por o local e disse-lhe, esta aqui uma armadilha neste agueiro...
 
 
Fui abordado pela Guarda Fiscal 3 vezes nessa semana, sempre que vinha da faina, há 2 dias mais do mesmo, fds não posso pescar? tenho que me sentir mal em ir a pesca? Já é demais, tanta coisa importante e andamos nós a descontar para isto? Pagar ordenados a Guardas para nos tentarem lixar, deviam era defender o cidadão, dar informação e tentar proteger as pessoas, dando segurança e conforto aqueles lhes pagam.
Mas não, existe uma caça ao pescador lúdico diariamente em Sines, enquanto morrem pessoas nas praias de Sines...
E porque não, trabalharem na prevenção destas situações e instruírem estes senhores para trabalhar para o cidadão na época pré e pós balnear, em vez de andarem 5 horas com binóculos a verem um gajo pescar, ridículo...
 
Finalmente a primeira douradinha do ano.
 
 
Muitos de vocês já sabem identificar os perigos do mar, mas pode ser que a minha mensagem chegue e ajude alguém.
O agueiro não mata desde que a pessoa saiba nadar, agora se não souber, muita atenção, em 5 segundos bebe-se uns pirolitos e não dá hipótese,  nesta praia que aparenta umas ondinhas pequenas, é uma armadinha fatal na zona das setas vermelhas.
 
Junto a dourada vieram uns bolachudos.
 
 
 
Acabar o domingo em beleza.
 
Desejo bom verão com muito cuidado no mar,  nunca é demais relembrar estas situações que num simples mergulho podem apanhar qualquer um, mesmo uma pessoa que saiba nadar pode entrar em pânico e a coisa correr mal...
Boas fainas.